Em novembro de 2016 passei cerca de 20 dias a viajar pelo Sri Lanka. Foram quase 3 semanas em que tive oportunidade de conhecer um país que me surpreendeu desde o primeiro momento em que aterrei no aeroporto internacional de Colombo, a sua capital. Desde os cheiros,  sabores e cores, até à partilha de história com Portugal: tudo no Sri Lanka me deixou completamente fascinada e certa que a decisão de lá ir tinha sido mesmo a melhor. Neste artigo partilho contigo o meu roteiro de viagem no Sri Lanka assim como algumas dicas úteis que te poderão ajudar a planear da melhor forma a tua própria viagem.

Não é necessário referir que as viagens podem ser sempre feitas de várias maneiras, dependendo do viajante. Os transportes escolhidos, os dias a passar em cada destino ou até a própria escolha de destinos dependerá sempre claro das tuas próprias preferências e tempo de viagem.

Para informações práticas adicionais vê também o artigo:
Guia de Viagem Sri Lanka


Mapa Roteiro de Viagem Sri Lanka


Itinerário de Viagem Detalhado

| Dia 1 e 2

Colombo |Negombo

Roteiro Sri Lanka | Negombo

Photo by Recal Media on Unsplash

A viagem começou, como não podia deixar de ser, em Colombo, a capital do Sri Lanka. No entanto, não foi lá que fiquei alojada na primeira noite, mas sim em Negombo, uma pequena cidade costeira a cerca de 20 minutos de distância (de mota ou carro) do aeroporto. Existe sempre a possibilidade de te deslocares até Negombo de comboio, a partir da estação Colombo Fort Station, numa viagem de cerca de 1h30.

Alojamento: Friends Guesthouse. Para outras opções faz a tua pesquisa aqui: Alojamento Negombo.

O que ver e visitar: Praia de Negombo (não estejas à espera de uma praia paradisíaca…), Forte Holandês, Canal Holandês, Igreja de Santa Maria, Mercado do Peixe


| Dia 3 e 4

Kandy

Roteiro Sri Lanka / KandyNa manhã do terceiro dia segui de Negombo para Colombo de autocarro (viagem de 40 minutos, com AC, por 120 rupias), de onde partiria depois de comboio para Kandy, o meu próximo destino no Sri Lanka. A viagem até à cidade de Kandy demorou 3 horas. Recomendo compra antecipada do bilhete para garantires lugar. Caso contrário terás de correr muito para entrar primeiro na carruagem e conseguires lugar sentado.

Alojamento: Gruhaya Boutique Villa (não é a mais económica, mas é lindíssima e era o meu aniversário, merecia!). Para outras opções faz a tua pesquisa aqui: Alojamento Kandy.

O que ver e visitar: Templo do Dente Sagrado, Templo do Grande Buda, Jardins Botânicos Reais, Lago de Kandy, Fábricas de Chá, Jardim das Especiarias, ver o por do sol no Slighty Chilled Lounge junto ao lago.


| Dia 5

Dambulla

Roteiro Sri Lanka / DambullaDepois de 2 noites em Kandy estava na hora de seguir para Dambulla, mais a norte, que serviria de base para visitar também Sigiriya e Pollonaruwa, dois dos mais importantes pontos de interesse histórico do Sri Lanka. Saí de Kandy de autocarro (bilhete comprado na hora), tendo levado cerca de 2 horas a chegar a Dambulla.

Alojamento: Sevonrich Guesthouse. Para outras opções faz a tua pesquisa aqui: Alojamento Dambulla.

O que ver e visitar: Templo Dourado, Templo da Gruta de Dambulla, Museu Budista, ver o por do sol no Rochedo Pidurangala


| Dia 6

Dambulla – Sigiryia (Lion’s Rock)

Roteiro Sri Lanka / SigiriyaDe Dambulla saí de tuk-tuk (pedido através da Guesthouse) às 8h da manhã rumo a Sigiryia. Pelo caminho o condutor foi parando nalguns locais de interesse. O bilhete para subir ao topo de Sigiryia (um rochedo com 360mt de altura) custa USD 30, mas garanto que vale muito a pena a árdua subida e o bilhete algo dispendioso: a vista lá de cima é incrível e é um dos locais de maior importância histórica no país. é, sem dúvida, um local a incluir quase obrigatoriamente num roteiro de viagem pelo Sri Lanka.

Tens outras formas de chegar a Sigiryia sem ser de tuk tuk, mas para mim foi sem dúvida a melhor escolha, pela flexibilidade e oportunidade que me deu de ver locais que nunca teria visto de outra forma.


| Dia 7

Dambulla – Pollonarwua

Roteiro Sri Lanka | PollonarwuaNo dia seguinte saí novamente de Dambulla de manhã cedo, de tuk tuk, rumo a Pollonarwua, outro dos locais de maior relevância histórica do Sri Lanka, que também não poderia faltar no meu roteiro de viagem pelo Sri Lanka. A que foi em tempos a segunda capital do país, oferece-te  a possibilidade de visitares as ruínas da antiga cidade-jardim datada do século XII.

O bilhete custa USD 25 e pode ser adquirido na bilheteira no local. Para não andares a pé os 5kms que totalizam o complexo de ruínas, podes sempre recorrer ao aluguer de uma bicicleta.


| Dia 8

Dambulla – Ella

Roteiro Sri LankaNo 8º dia de viagem saí cedo de manhã de autocarro (apanhado na estrada principal de Dambulla) de volta a Kandy, numa viagem completamente alucinada (condutor a achar que era piloto de rally) de mais ou menos 2h30, cujo bilhete custou à volta de LKR 95 (aproximadamente €0,50). Se tiveres sorte ainda apanhas um show de magia no autocarro como eu apanhei, sempre dá para ignorares o facto de estares a correr risco de vida!

Às 11h entrava numa das viagens de comboio mais incríveis da minha vida rumo a Ella, no centro do Sri Lanka. Aconselho-te a comprares os bilhetes de comboio com alguns dias de antecedência para garantires que vais sentada durante toda a viagem. O único senão é que acabas por viajar com outros turistas e não entre a população local, algo que enriqueceria muito mais a experiência. Se um dia voltar a repetir vou optar por arriscar e ir numa carruagem sem lugares reservados. A viagem de comboio  demora cerca de 7 horas mas vale muito a pena.


| Dia 9, 10 e 11

Ella

Roteiro Sri Lanka / EllaOs 3 dias que passei em Ella fizeram com que saísse de lá com a certeza de este ser um dos meus locais preferidos neste país. É o destino ideal para quem gosta de natureza e de caminhadas e um ponto de inclusão obrigatória num roteiro de viagem pelo Sri Lanka. As extensas plantações de chá que preenchem as paisagens, as imponentes montanhas que rodeiam a cidade e o manto verde que as decora fazem-nos sentir que estamos num local verdadeiramente único. Apesar de ser supostamente proibido, muitos locais e turistas percorrem os caminhos à volta de Ella junto à linha de comboio.

Alojamento: Ella Rock House. Para outras opções faz a tua pesquisa aqui: Alojamento Ella.

O que visitar: Little Adam’s Peak, Ponte Nine Arches, Ella Rock, Cascata Ravana, Cascata Diyaluma, Ella Spice Garden (Jardim das Especiarias)


Para dicas mais detalhadas vê também:
Crónicas de Viagem pelo Sri Lanka


| Dias 12 e 13

Udawalawe (Parque Natural de Udawalawe)

Roteiro Sri Lanka / Udawalawe

De Ella saí num autocarro rumo a Udawalawe, que ainda me obrigou a uma mudança para um outro autocarro em Thanamalvila a meio da viagem. No total a viagem demorou cerca de 2 horas. Prepara-te no entanto para correres o risco de ir grande parte da viagem em pé, como eu fui, já que estes autocarros (especialmente o primeiro) costumam vir bem cheios.

Dos vários parques naturais que existem no Sri Lanka, o Parque de Udawalawe é um dos que te oferecem uma experiência mais tranquila, com menos turistas, e uma maior probabilidade de avistares animais selvagens no seu habitat natural. O safari de jipe que fiz partiu pelas 6h da manhã aproximadamente, tendo tudo sido organizado através do alojamento em que fiquei, o Silent Bungalow (e que recomendo!)

Em Udawalawe podes ainda visitar o Elephant Transit Center que acolhe vários elefantes bebés órfãos até terem idade para serem libertados no Parque Natural.

Alojamento: Silent Bungalow. Para outras opções faz a tua pesquisa aqui: Alojamento Udawalawe.

O que visitar: Parque Natural de Udawalawe, Elephant Transit Center


| Dias 14 a 19

Mirissa / Galle / Ahangama / Hikkaduwa

Roteiro Sri Lanka / Mirissa

Praia de Mirissa

Os últimos 5 dias desta viagem pelo Sri Lanka foram passados a percorrer a costa sudoeste do Sri Lanka, desde Mirissa até Hikkaduwa. A praia de Mirissa é verdadeiramente fotogénica e a vila tem várias opções de restaurantes, bares e alojamento. Ahangama é uma zona perfeita para quem procura ondas para surfar, assim como Hikkaduwa, se bem que esta última achei demasiado turística o que me levou a deixá-la antes do previsto. De Hikkaduwa ainda fui de autocarro até Galle, uma cidade encantadora, repleta de vestígios de arquitetura colonial portuguesa e holandesa e que já na altura (em 2016) começava a registar um elevado número de restaurantes, lojas e bares muito trendy.

Alojamento:

O que visitar: Em Mirissa, Ahangama e Hikaduwa, as opções serão basicamente as praias. Em Galle sugiro: Forte de Galle, Museu Nacional Marítimo, antigo mercado holandês, percorrer as labirínticas ruas da cidade e apreciar o seu ambiente


| Dia 20 

Colombo

Roteiro Sri Lanka / ColomboDas praias segui de comboio rumo a Colombo onde me esperava o voo de regresso a casa. Ainda com umas horas livres aproveitei para explorar um pouco da cidade. Confesso que não fiquei propriamente fã. Aqui faltam os sorrisos espontâneos e hospitalidade que encontrei no resto do país. Tudo é caótico, sem alma e impessoal. Mas defendo sempre que nunca devemos ignorar as capitais dos países que visitamos e como tal, lá parti à descoberta.

O que visitar: Museu Nacional, antigo Hospital Holandês, Memorial da Independência, Templo Gangaramaya, Lago Beira



Notas úteis sobre o Sri Lanka

Para finalizar este roteiro de viagem pelo Sri Lanka, deixo aqui algumas notas úteis sobre o destino, que cheguei a partilhar aqui no blog, através da minha última crónica de viagem pelo Sri Lanka:

1. A comida é picante, ponto. Até podes implorar para que não venha picante para a mesa. Mas convence-te que vais ter a boca a arder durante alguns minutos. Por isso começa já a habituar o paladar antes de partires. Conselho de amiga.

2. Andar de autocarro público é a forma mais prática de te movimentares dentro do país: é barato e pode-se mandar parar em qualquer sitio. Mas está preparada para veres a tua vida a passar em flashback pelos teus olhos algumas vezes. Os condutores dos autocarros são completamente insanos e acham que vivem numa pista de rally.

3. Um bom sorriso leva-te bem longe e o Sri Lanka é um belo exemplo disso. Aqui, os sorrisos são fáceis e genuínos. Mesmo que vejas alguém com a cara fechada, experimenta atirar-lhes com um sorriso assim do nada. Quase de imediato a expressão dessa pessoa transforma-se por completo.

4. As Roti Shops são uma opção local, barata e deliciosa para as tuas refeições. Roti de galinha, de peixe, de vegetais, de queijo, simples, de chocolate, de banana… and so on, and so on. Há rotis para todos os gostos e feitios e são todos absolutamente deliciosos.

5. Trata de te encheres de repelente de mosquitos para onde quer que vás. Os bichos do inferno aqui não perdoam nem um minuto.

6. Apesar do conforto e lado prático que oferece uma viagem de carro privado pelo país, viajar de transportes públicos (comboio, autocarro, tuk-tuk…) oferece-te uma visão mais pura e real do país, para além de ser uma alternativa bastante mais económica.

 

Gostaste do artigo? Então não te esqueças de deixar um comentário abaixo e de seguires o Joland através do Instagram e Facebook!

Este artigo poderá conter links de afiliados.

☆ Aproveita o desconto de 5% para seguidores do Joland na compra de um Seguro de Viagem IATI através deste link: Seguro de Viagem IATI ☆ 
➪ Planeia a tua viagem com estes links úteis

Alojamento:
Para reservas de alojamento uso sempre o Booking ou o AirBnb.

Reservar Voos:
Para encontrares os melhores voos para as tuas viagens recomendo o Skyscanner.

Seguro de Viagem:
Para te manteres segura em viagem recorre aos seguros da IATI Seguros* ou da World Nomads
* aproveita o desconto de 5% nos seguros da IATI ao reservares através do link acima

Tours e Atividades:
Para reserva de tours e atividades em vários destinos recomendo a Get Your Guide

Alugar Carro:
Para alugar carro uso sempre a Rentalcars.com

Transportes
Para compra de bilhetes para transportes na Ásia recomendo o 12go.asia ou o Baolau